Os residentes de Macau estão “cada vez mais” conscientes do valor do património mundial na vida diária, bem como sobre a importância da sua salvaguarda, afirmou hoje a presidente do Instituto Cultural (IC).

Mok Ian Ian falava na cerimónia de abertura de dois dias de atividades que assinalam o 15.º aniversário da inscrição do centro histórico de Macau na lista do património mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

“O centro histórico, com os seus largos e praças de estilo europeu, os seus templos de estilo chinês, as suas igrejas e teatros de estilo ocidental e as suas mansões com elementos chineses e ocidentais, conta ao mundo a história de Macau, uma cidade que se distingue pelas origens e características multiculturais”, afirmou a responsável.

O trabalho do IC procura, através de várias atividades de sensibilização das camadas mais jovens da população, “potenciar o desenvolvimento sustentável deste recurso precioso e não reproduzível” e garantir “a preservação futura” do património cultural mundial de Macau, que pertence “a toda a humanidade”, salientou.

Danças folclóricas portuguesas, danças do leão e ópera cantonense dominam o programa das comemorações, que até domingo, oferece ainda jogos, exposição temática, ‘workshops’ e venda de produtos culturais e criativos.

O evento decorre na Casa do Mandarim e no Largo do Lilau, dois espaços que integram a lista do património mundial e testemunham o “mais antigo legado arquitetónico europeu existente em solo chinês na atualidade”, de acordo com a avaliação do comité do património mundial do centro histórico de Macau.

Edifício de estilo tradicional chinês, a Casa do Mandarim foi construída antes de 1869 e situa-se mesmo em frente ao Largo do Lilau, um dos primeiros largos de estilo português da cidade.

O centro histórico de Macau foi inscrito na lista do património da humanidade da UNESCO em 15 de julho de 2005, tendo sido designado como o 31.º local do Património Mundial da China.

A classificação integra vários edifícios históricos construídos pelos portugueses, incluindo o edifício e largo do Leal Senado, a Santa Casa da Misericórdia, as igrejas da Sé, de São Lourenço, de Santo António, de Santo Agostinho, de São Domingos, as Ruínas de São Paulo e Largo da Companhia de Jesus ou a fortaleza da Guia.

EJ (PTA) // VM

 

FONTE > LUSA

REDE SOCIAL DA LUSOFONIA | PUBLICAÇÕES DE MEMBROS - EVENTOS - DIRETÓRIO DE EMPRESAS

CONTACTO

Não hesite em enviar a sua mensagem! Responderemos por email desde que possível.

Enviando
Translate »
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Crie a sua conta