Susana Sargento é professora na Universidade de Aveiro e co-fundou a tecnológica Veniam.

Susana Sargento, investigadora científica e co-fundadora da empresa tecnológica Veniam, foi distinguida pela Comissão Europeia com o Prémio Mulheres Inovadoras da UE 2016. A Veniam desenvolve tecnologia que permite ligar automóveis em rede, transformá-los em pontos de acesso à Internet e recolher informação sobre os veículos, para permitir, por exemplo, uma melhor gestão do tráfego ou de redes de transportes públicos.

A empresa foi criada em 2012, por Susana Sargento, professora na Universidade de Aveiro, e pelo académico João Barros, da Universidade do Porto. Em Fevereiro deste ano, conseguiu cerca de 20 milhões de euros de capital de risco, numa ronda de financiamento que contou com investidores de peso: as operadoras Verizon e Orange, a Cisco (uma multinacional de infra-estruturas de comunicação) e a Yamaha, fabricante de motos e outros veículos. A empresa tem actualmente sede nos EUA e emprega três dezenas de engenheiros, mas continua a ter instalações também no Porto, onde é feito o desenvolvimento técnico.

Num texto publicado no blogue do comissário para a economia digital, Günther Oettinger, Susana Sargento conta que a trajectória para o sucesso não foi clara: “Tudo começou com a vontade de saber cada vez mais, de ir sempre mais longe e trabalhar em áreas diferentes e em evolução. Foi por isto que me tornei investigadora, O caminho para o empreendedorismo começou com a nossa investigação bem-sucedida: fomos capazes de construir algo único no mundo. No entanto, o nosso sucesso não era antecipável desde o início.”

A investigadora e empreendedora lembra que, ainda em 2011, uma equipa de investigadores foi capaz de enviar vídeo de um veículo para outro que circulava atrás, permitindo assim ver a estrada e os outros veículos mais à frente. “Na fase seguinte, chegámos a um estádio decisivo: tornámos possível construir uma rede de veículos numa cidade e decidimos fundar a Veniam”, recorda.

O prémio, no valor de 100 mil euros, tem como objectivo “consciencializar o público para a necessidade de mais mulheres inovadoras e empreendedoras”. Segundo números da Comissão, apenas apenas 29% dos empreendedores europeus são mulheres. Entre 2004 e 2014, a percentagem de mulheres doutoradas aumentou de 43 para 47%. Foram também distinguidas outras duas mulheres, com prémios de 50 mil e 30 mil euros.

“É sempre uma grande honra ver os projectos portugueses, como o da Susana Sargento, vencer concursos europeus ao mais alto nível. Este projecto simboliza também o enorme potencial que existe em Portugal na área da economia digital e novas tecnologias”, afirmou o comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, o português Carlos Moedas, acrescentando que a Europa deve apoiar “pessoas que combinam excelência científica e sentido de negócio” e que “transformam a sua investigação em oportunidades de emprego”.

PUBLUCAÇÃO > PÚBLICO
Recomendar 0 Recomendações CATEGORIAS : LUSOFONIA, LUSOFONIA | Economia, PORTUGAL, PT | Economia

REDE SOCIAL DA LUSOFONIA | PUBLICAÇÕES DE MEMBROS - EVENTOS - EMPREGO - DIRETÓRIO DE EMPRESAS - IMOBILIÁRIO - FÓRUM

CONTACTO

Não hesite em enviar a sua mensagem! Responderemos por email desde que possível.

Enviando
Translate »
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Criar Conta