multilinguismo
Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.*

Data foi celebrada a 21 de Fevereiro; chefe da Unesco, Irina Bokova, ressaltou relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável; em entrevista à ONU News, pesquisador brasileiro falou sobre aprendizado da linguagem por seres humanos.

As línguas expressam quem as pessoas são e estruturam suas identidades e pensamentos, na opinião da chefe da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco.

A declaração faz parte da mensagem de Irina Bokova para o Dia Internacional da Língua Materna, celebrado nesta terça-feira, 21 de fevereiro.

Aprendizado particular

O pesquisador brasileiro Diogo Almeida estuda neurociência da linguagem. Dos Emirados Árabes, onde é professor da Universidade de Nova Iorque em Abu Dhabi, ele falou com a ONU News sobre a língua materna.

“Todo ser humano que é exposto dentro de uma comunidade linguística vai aprender a língua da comunidade, isso é uma constante na experiência humana. Esse processo de aprendizagem, de acordo com os últimos estudos sobre a linguagem, é diferente do aprendizado de outras habilidades que nós temos, outras faculdades cognitivas como, por exemplo, aprender matemática na escola. O aprendizado da linguagem é bastante particular.”

Multilinguismo

Diogo Almeida afirmou que o multilinguismo, ou seja, falar mais de uma língua, é anterior ao processo de globalização. Ele falou ainda sobre as diferenças entre o aprendizado da língua materna e de outras em uma época diferente da vida.

“Uma coisa que nós sabemos do desenvolvimento linguístico é que aprender a primeira língua é diferente do que aprender uma segunda língua mais tarde na vida (…). Pessoas que rejeitam ou que, por outras razões, não puderam adquirir a língua dos seus pais, por exemplo, porque os pais não passaram à frente, ou porque havia algum tipo de proibição no ambiente, essas pessoas elas vão ser cortadas de uma experiência que nunca vai conseguir ser reproduzida, por mais que elas venham a aprender essa língua mais tarde na vida, porque o aprendizado da segunda língua é diferente do aprendizado da primeira língua.”

Unesco

O Dia Internacional da Língua Materna em 2017 é dedicado à educação em várias línguas e, segundo a Unesco, também é uma oportunidade para mobilização em prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, especialmente o ODS 4, que busca a educação de qualidade para todos.

Na mensagem sobre a data, a chefe da agência da ONU defendeu que “educação e informação na língua materna são essenciais para melhorar o aprendizado e desenvolver a confiança e a autoestima. Para Irina Bokova, estes são alguns dos motores mais poderosos para o desenvolvimento.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

PUBLICAÇÃO > ONU
0 Comentários

Envie uma Resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

CONTACTO

Não hesite em enviar a sua mensagem! Responderemos por email desde que possível.

Enviando

REDE SOCIAL DA LUSOFONIA | PUBLICAÇÕES DE MEMBROS - EVENTOS - ANÚNCIOS CLASSIFICADOS - DIRETÓRIO DE EMPRESAS

ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account